/

lyrics

1948


(João Guilherme Dayrell)

Veio a luz, teu rosto, pouca visão
As primeiras velas, o ontem, algum sermão
Todas as roupas do mundo serviam em mim
Até que o corpo caiu fora de si

Esta noite não sugeriu o sol

Para o que eu vou ser, não cabe o teu aval
e eles esperam para enquadrar a inadequação
Eu me tornei surdo depois de ouvir
Que os impérios já tem onde cair

Era só, com livros que tiram a cor
Os espelhos dos homens que não se vêem
Olhos cansados e as crianças no jardim
Que hoje sopram as últimas velas para mim

Eu me livrei de tudo que eu podia ser

Quando se é, não cabe qualquer aval
e se espelhar foi tirar um pouco de si
De onde vem que os céus irão se abrir?
O último homem ficará por aqui.

credits

from A Tradicional Família Mineira, released July 7, 2009

tags

license

all rights reserved

about

Colorido Artificialmente Belo Horizonte, Brazil

contact / help

Contact Colorido Artificialmente

Streaming and
Download help